Neurocam utiliza o seu cérebro para gravar vídeos automaticamente
29 de outubro de 2013
Um Comentário
Neurocam utiliza o seu cérebro para gravar vídeos automaticamente
Neurocam utiliza o seu cérebro para gravar vídeos automaticamente

Neurocam utiliza o seu cérebro para gravar vídeos automaticamente

Um Comentário

Já é sabido que o futuro dos smartphones vai passar pelo pouco uso das mãos. O iWatch é o melhor exemplo disso mesmo. O objetivo é deixar o usuário focado naquilo que interessa e de forma a não necessitar de utilizar as suas mãos para fazer telefonemas ou gravar vídeos. E por falar em smartphones, esta semana na Human Sensing 2013, no Japão, foi apresentado o Neurocam, um protótipo que permite que o seu cérebro grave vídeos automaticamente sem você necessitar de utilizar as mãos.

Ele funciona com sensores e utiliza os seus graus de interesse, que podem variar de 0 a 100. Se o seu interesse estiver acima de 60 ele começa a gravação, gerando um GIF animado de 5 segundos. Além disso, ele analisa para onde você está olhando de modo a focar a gravação.

Leia também: Fã da Apple faz cópia perfeita do iWatch

O Neurocam foi a mais recente ideia de negócio a entrar no projeto Neurowear, que foi responsável pelo lançamento do Necomimi, um projeto que ajuda o cérebro a controlar outros órgãos exteriores ao corpo humano (vídeo logo abaix0).

A principal questão do Neurocam está relacionada com as ondas cerebrais e os seus malefícios para o cérebro. Além disso, o dispositivo ainda deverá ter um peso considerável, visto que ainda leva um iPhone além do próprio Neurocam. A empresa garante que ainda está desenvolvendo o produto e ele está longe de ser lançado.

Mais uma forma de criação de GIF’s. Será que o mundo necessita mesmo disso?

Vídeo do Neurocam

Vídeo do Necomimi

Seções:
Junte-se a nós na nossa área de membros!
Faça login ou registre-se e receba as novidades em primeira mão.
Guarde artigos para ler mais tarde ou acesse aos seus favoritos.

Comente este artigo

* Campos de preenchimento obrigatório

Voltar ao topo